quarta-feira, 4 de abril de 2012

Artesato e Filme-Documentário sobre Raul Seixas



Desde o dia 23 de março, mais de 25 mil pessoas foram aos cinemas brasileiros conhecer melhor a vida do “maluco beleza”. A data marcou a estreia de “Raul: o início, o fim e o meio”, filme de Walter Machado. Em 50 entrevistas e com o amparo de imagens inéditas de arquivo, o diretor reconstrói os caminhos artísticos e profissionais do músico que foi considerado uma das figuras mais marcantes do rock nacional.
No longa, personagens chave na vida do músico baiano, como os admiradores Caetano Veloso e Pedro Bial, e os parceiros Paulo Coelho e Marcelo Nova, colocam em pauta assuntos polêmicos como drogas, misticismo, magia negra e alcoolismo, recorrentes na vida de altos e baixos do “cantor de iê, iê, iê realista”, como definia.
Nascido em 1945, em Salvador, Seixas lançou seu primeiro álbum em 1968 mas alcançou sucesso nacional apenas em 1972, durante o Festival Internacional da Canção com a música “Let Me Sing My Rock’n'Roll”. Antes de ser consagrado, desejou ser escritor e fez parte de bandas sem repercussão de público e crítica, como “Raulzito e os Panteras”. Em 1988, gravou seu último álbum solo, “A Pedra do Gênesis”. No ano seguinte, a convite de Marcelo Nova, fez turnê de 50 shows pelo Brasil e em agosto do mesmo ano foi encontrado morto depois de uma parada cardíaca relacionada ao alcoolismo.
Com a produção, Machado – que já assinou a fotografia de títulos como “Central do Brasil”, “Lavoura Arcaica” e “Carandiru” – conquistou o Prêmio de Público e o Prêmio Itamaraty de melhor documentário brasileiro na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo de 2011 e Prêmio da Critica na 7º Fest Aruanda, que acontece na Paraíba

Fonte de Texto: http://epocasaopaulo.globo.com/cultura/cinema/documentario-sobre-raul-seixas-estreia-como-surpresa-de-bilheteria/